Deputado Wellington defende a imprensa, após ataque de Duarte Jr. a blogs

0
220

O deputado estadual Wellington do Curso (PSDB) reagiu nesta segunda-feira (29) ao ataque proferido no fim de semana pelo também deputado Duarte Júnior (PCdoB) contra blogs.

Durante participação em evento organizado pelo Instituto Maranhense de Defesa do Consumidor (Imadec), o comunista pediu aos que assistiam a sua palestra que não lessem blogs.

Em sua manifestação sobre o caso, Wellington fez questão de afirmar que a liberdade de imprensa é fundamental para o bom funcionamento da democracia e que, para a existência de uma sociedade mais justa, necessita possuir livre manifestação, “assim como possuir o direito básico da informação”.
O parlamentar lembra o surgimento de blogs independentes no país abriu uma nova fronteira do jornalismo, uma vez que a informação estava concentrada nas mãos dos grande veículos de comunicação tradicionais: jornais impressos, emissoras de televisão e rádio.

“Já fui muito hostilizado, prejudicado e até vítima de inverdades, mas nunca processei os profissionais da imprensa. Entendo que o uso da Justiça tem sido uma forma de tentar amedrontar os profissionais da imprensa. Não vivemos numa ditadura e muito menos num estado exceção, onde tentam implantar a ‘república do pensamento único’, com demagogia e hipocrisia. ”, declarou Wellington.
Na opinião do deputado estadual somente respeita a liberdade da livre manifestação e até mesmo a atuação de profissionais como os blogueiros, aquele que possui espírito republicano.

Nada disso
Em nota encaminhada ao blog do jornalista Marco D’Eça, Duarte Júnior disse que não foi bem aquilo o que declarou, que foi usado “um trecho isolado” da sua palestra e que ele sempre defendeu “a imprensa livre”.
“Informo que, durante palestra, com o tema Educação e Democracia em tempos de crise, no XI Congresso Nacional de Direito, realizado pelo IMADEC, fiz uma reflexão sobre a necessidade de buscarmos informações mais profundas sobre determinado assunto e não nos basearmos somente por notícias com títulos sensacionalistas e deturpadas. Também ponderei a postura de profissionais que se permitem manipular em prol da fabricação duvidosa da opinião pública. Utilizar um trecho isolado do meu discurso para comprometer a essência da minha afirmação é também reprovável, pois defendi e defendo ainda a imprensa livre, independente e comprometida com a objetividade e realidade dos fatos”, afirmou o comunista.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui