Em Wuhan, na China, surge cinco novos casos de coronavírus após reabertura do comércio

0
109

A China informou ontem na segunda-feira (11) cinco novos casos de coronavírus em Wuhan, cidade onde surgiu o novo coronavírus, um dia depois de anunciar a primeira infecção em mais de um mês na cidade. A metrópole de 11 milhões de habitantes ficou em quarentena por mais de dois meses.

O país asiático também registrou um total de 17 novos casos, 10 dos quais são infecções locais. É o segundo dia com aumento de dois dígitos no número de infecções. Desde 1º de maio, eles eram mantidos em menos de três por dia.

Desses novos casos locais, cinco foram relatados no nordeste do país, perto da Rússia e da Coreia do Norte, levantando temores de novos surtos de contágio.

A cidade de Shulan, com cerca de 670 mil habitantes, ficou em quarentena depois de detectar pelo menos 11 casos no fim de semana, de acordo com a TV pública CCTV.

O novo vírus infectou quase 83 mil pessoas e causou 4.633 mortes na China, mas não há registros de mortes relacionados com a Covid-19 há quase um mês.

A atividade econômica está gradualmente retomando. O parque temático da Disney em Xangai reabriu nesta segunda, enquanto as autoridades deram o aval na semana passada para a reabertura de cinemas e complexos esportivos em todo o país. As visitas serão limitadas e devem ser agendadas com antecedência. Os estudantes de Pequim voltaram às aulas com uma pulseira que emite alerta em caso de febre.

Há exatos dois meses, no dia 11 de março, a Organização Mundial de Saúde declarou que o novo coronavírus era uma pandemia. Desde então, os números de casos e mortes se espalharam pelo mundo e cresceram a cada dia. Até esta segunda-feira (11), são mais de quatro milhões de infectados confirmados e 283 mil mortes.