Jair Bolsonaro defende volta do futebol e diz que chance de jogadores morrerem de Covid-19 é infinitamente pequena

0
131

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a defender a retomada do futebol no Brasil. Em entrevista à Rádio Guaíba, de Porto Alegre, nesta quinta-feira, o presidente justificou a sua posição ao afirmar que, por serem jovens e terem boas condições físicas, os jogadores profissionais têm risco pequeno de morrer caso sejam infectados pelo novo coronavírus.

Ao externar a posição, o presidente não citou nenhum estudo científico ou embasamento médico. Mas relatou que, embora não tenha o poder de determinar a liberação de treinos e jogos, o Ministério da Saúde e a Anvisa devem emitir parecer favorável para as atividades serem retomadas sem torcida. Bolsonaro confirmou ter conversado com Renato Gaúcho, técnico do Grêmio, com Rogério Cabloco, presidente da CBF, e com Walter Feldman, secretário-geral da CBF.

– No momento, existe já muita gente que entende, que está no meio futebolístico, que é favorável à volta porque o desemprego está batendo à porta dos clubes também. Com essa idade jovem, o jogador, ele dificilmente, caso ele seja acometido do vírus, a chance de ele partir para a letalidade é infinitamente pequena. Até pelo estado físico, pela higidez que tem esse atleta. Agora, eles têm que sobreviver – disse Bolsonaro, para completar em seguida:

– Muitas vezes a gente tem o pensamento que o jogador, que todo mundo ganha horrores. Não, a maior parte não ganha bem e precisa do futebol para sustentar sua família. Estão passando necessidade. Não sou eu que vou abrir ou não o futebol, mas já conversei com o ministro da Saúde e dar parecer um nesse sentido, para que o futebol volte sem torcida. Então, da nossa parte, esse parecer deve ser feito, como acertado com o ministro Nelson Teich e como parece que também a Anvisa vai dar um parecer nesse sentido.