Com inelegibilidade noticiada até pelo Jornal Nacional, Flávio Dino se defende como um professor sem conhecimento

0
192
Mesmo até o Jornal Nacional, da TV Globo, noticiando ontem, 08, em nota a decisão de primeiro grau da Justiça Eleitoral de Coroatá, fazendo-o, obviamente, baseado em fato, uma vez que a sentença existe, Flávio Dino, principalmente, tem usado sua mídia aliada para constranger de maneira brutal a magistrada e vilipendiar a imprensa que não lhe segue cegamente que  apenas noticiou um fato relevante para o momento, que, sem qualquer sombra de dúvida, é político.

Em vez de se concentrar na defesa agora em segundo grau (TRE-MA), posteriormente em terceiro grau (TSE), o governador tá perdendo tempo em Twitter, Facebook, blogs aliados, TVs pagas como o dinheiro do contribuinte para atacar a sentença  publicamente com, a meu ver, desrespeito, à Justiça Eleitoral.

Se é frágil como afirmaram seus aliados ao Jornal Nacional (TV GLOBO) em nota do PCdoB, que seja combatida nas vias judiciais com o esmero do ex-juiz federal, professor há 25 anos de Direito Constitucional, mas o que se está se perpetrando diante da sentença que veio de Coroatá é um ato de quem se assustou, de quem viu-se acoado e, desnorteado, passou a atirar verbalmente tentando fazer falecer uma sentença muito bem fundamentada pela digna representante da JUSTIÇA maranhense que tem, sim, seus méritos.

Abaixo está a notícia produzida pela Assessoria de Comunicação do TRE-MA a respeito da inelegibilidade de Flávio Dino e outros políticos maranhenses, incluindo o prefeito de Coroatá beneficiado, conforme a sentença, pelo famoso derrame de asfalto do governo que, sabemos, não é segredo pra ninguém – É O TAL DO MAIS ASFALTO:

A juíza Anelise Nogueira Reginato, titular da 8ª zona eleitoral, apreciando a Ação de Investigação Judicial Eleitoral número 262-79, decidiu, na segunda, 6 de agosto, com base no artigo 22, XIV da Lei Complementar 64/90 e no artigo 487, I do Novo Código de Processo Civil, declarar a inelegibilidade de Flávio Dino de Castro Costa, Marcio Jerry Saraiva Barroso, Luís Mendes Ferreira Filho e Domingos Alberto Alves de Sousa, cominando-lhes sanção de inelegibilidade para as eleições que se realizarão nos 8 anos subsequentes às Eleições de 2016; e ainda cassar os diplomas do prefeito Luís Mendes Ferreira Filho e vice Domingos Alberto Alves de Sousa de Coroatá, aplicando-lhes ainda multa de 100 mil UFIRS.

Da decisão cabem recursos ao Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (em segunda instância) e posteriormente ao Tribunal Superior Eleitoral (em última instância).

A AIJE foi proposta pela Coligação “Coroatá com a força de todos” contra Flávio Dino de Castro Costa, governador do Maranhão, Marcio Jerry Saraiva Barroso, na condição de secretário estadual de Articulação Política, Clayton Noleto Silva, na condição de secretário estadual de Infraestrutura, Jefferson Miler Portela, na condição de secretário estadual de Segurança Pública, Luís Mendes Ferreira Filho e Domingos Alberto Alves de Sousa, respectivamente prefeito e vice-prefeito de Coroatá, sob os fundamentos de que, durante a campanha eleitoral para a chefia do poder executivo municipal em 2016, houve abuso de poder econômico, político e administrativo.
__________________________________________________

TRE-MA – Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão
ASCOM – Assessoria de Imprensa e Comunicação Social


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui